BLOG

Como funciona um gasoduto?

Nos últimos anos o gás natural vem sendo utilizado de forma mais recorrente para geração de energia. Afinal, consiste em uma fonte considerada como menos poluente porque é um combustível que gera menos resíduos depois da sua queima.

O gás natural pode ser utilizado, por exemplo, em termoelétricas, para abastecer veículos, em residências, no comércio e também indústrias. Mas para que ele chegue até o consumidor final é preciso a construção de gasodutos que façam seu transporte do local de extração até os pontos de distribuição.

Para que você entenda melhor como esse processo acontece, preparamos este artigo a fim de mostrar como funciona um gasoduto. Continue lendo e veja também o que é feito para garantir a segurança ao redor dele.

Como é feito o transporte de gás natural

Combustíveis como a gasolina e o etanol podem ser transportados por meio de caminhões das refinarias até os postos de abastecimento. No entanto, isso não acontece com o gás natural. Para que ele seja distribuído ao consumidor final, é necessário uma estrutura de grande porte, nesse caso, o gasoduto.

Um gasoduto, basicamente, consiste em uma rede de tubulações que fazem a conexão entre as fontes de produção e os centros consumidores. São canos que levam o gás do local onde ele é extraído para os locais onde é feita a sua distribuição.

Esse tipo de projeto costuma ter dimensões muito extensas, uma vez que o gás precisa viajar por vários quilômetros. Por isso, na verdade é necessário fazer a construção de uma infraestrutura dutoviária para fazer o transporte do gás. Ela é composta por gasodutos, estações de interconexão, estações de compressão, pontos de recebimento, pontos de entrega e outros.

É válido ressaltar que essas são apenas algumas das estruturas adotadas, porque podem haver ainda outras instalações destinadas à operação, proteção e segurança de todo o gasoduto. Afinal, esses empreendimentos, conforme explicamos, atravessam grandes regiões, muitas vezes viajando de um país para o outro.

A instalação de um gasoduto

Existem diversas normas técnicas e legislações que precisam ser seguidas para a construção de um gasoduto. Ele deve seguir um determinado padrão para garantia não só do seu bom funcionamento e eficácia, mas também da segurança, uma vez que estamos falando a respeito de um material inflamável.

A instalação dos tubos por onde passa o gás é feita no subsolo, com uma profundidade média de cerca de 1 m. Ele pode atravessar propriedades privadas, porém, respeitando uma distância mínima de 15 m para as construções já existentes. Caso outras sejam erguidas posteriores à instalação do gasoduto, deve ser respeitada essa mesma distância.

A área por onde o gasoduto passa tem 20 m de largura e é denominada como Faixa de Servidão. Esse terreno deve receber manutenção constante de modo que esteja sempre limpo e visível para facilitar sua identificação.

Toda a tubulação utilizada no gasoduto tem diâmetro muito grande e o transporte do gás é feito por meio de variações de pressão. Em um determinado local fica instalada uma estação de compressão, responsável por empurrar o gás, assim, a tendência é que ele siga para o local onde a pressão é menor, então, ele viaja por toda a rede.

É dessa forma que chega às companhias distribuidoras, que contam com um sistema integrado de transporte de gás para fazer com que ele chegue até o consumidor final com a pressão adequada, respeitando o diâmetro das tubulações menores.

A segurança do gasoduto

Conforme citamos, a Faixa de Servidão do gasoduto precisa estar a uma distância de 15 m das construções. Mas, para garantir que realmente haja segurança, além de estar constantemente limpa em toda sua extensão são colocadas sinalizações que ajudam a alertar que ali existe um gasoduto. Essas sinalizações visam demarcar o limite da faixa, apontam a quilometragem do trajeto do gasoduto e indicam que ali existe uma tubulação enterrada.

Além de todo esse cuidado, a população ao redor é alertada a respeito do gasoduto, bem como do que pode ou não ser realizado sobre ele ou em suas proximidades. Esse é o caso do trânsito de pessoas e veículos, bem como construções, plantações e outras atividades.

A empresa responsável pelo gasoduto também disponibiliza um canal de contato para que a própria população possa alertar a respeito de possíveis problemas com o gasoduto, como queimadas próximas, o surgimento de erosões ou qualquer outro incidente. Também pode esclarecer dúvidas ou solicitar orientações sobre as atividades que se pretende exercer perto do gasoduto.

Como você viu, um gasoduto é um projeto de extensões muito grandes que ultrapassam territórios, assim, precisa ser realizado com rigor técnico, a fim de garantir a segurança em toda a sua extensão. Por isso, é fundamental que o projeto seja executado por empresas responsáveis e experientes.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *