Logo da Etesco Construções
Menu

Estudo de viabilidade econômica de obras: Como fazer?

Atualizado em 16/08/2021
Tempo de leitura: 3 min.
Estudo de viabilidade econômica de obras: Como fazer? | Etesco Construções

O que é o estudo de viabilidade econômica?

Estudo de viabilidade econômica é uma análise realizada antes do início de uma obra, que verifica se determinado empreendimento será construído de forma lucrativa e segura.

Quer saber mais sobre esse estudo? Então, continue acompanhando o post de hoje!

Caracterizando o estudo de viabilidade

Conforme dissemos, o estudo de viabilidade econômica é uma espécie de auxílio para as empresas e os investidores, pois é responsável por decidir se vale ou não a pena dar continuidade a uma determinada obra.

Assim sendo, a compra de terrenos, investimento em tecnologias e até o fechamento do projeto são decididos após avaliação do estudo de viabilidade. 

Quais as etapas do estudo de viabilidade?

O estudo de viabilidade envolve algumas etapas, dentre as quais podemos destacar: Estudo de mercado, viabilidade técnica, potenciais riscos, legislação, projeção dos fluxos de caixa e análise de indicadores.

Estudo de mercado

Nessa etapa, deve-se avaliar o projeto da empresa, bem como o potencial de mercado do mesmo, para saber se o modelo de empreendimento terá sucesso financeiro após finalizado.

Desta forma, então, é possível aproveitar esse momento para avaliar algumas outras questões, como por exemplo, se existe demanda para esse tipo de projeto na região escolhida e qual a cidade ou bairro tem clientes com o perfil mais alinhado a esse projeto.

Viabilidade técnica

A viabilidade técnica tem o objetivo de verificar se determinado empreendimento precisará de materiais específicos, e se a construtora ou incorporadora estão preparados para assumir tais questões.

Basicamente, nesta etapa devem ser pensadas as especificidades da obra, além de avaliar se o terreno é adequado para receber o empreendimento, e se existe a necessidade de contratar outras empresas ou profissionais especializados.

Potenciais riscos

Essa é a hora de avaliar o que está em jogo, ou seja, todo o projeto. E não basta somente saber se ele tem potencial de mercado. Também é importante ter clareza sobre possíveis riscos.

Isto porque, mesmo sendo algo viável do ponto de vista mercadológico, se houverem muitos riscos, a construtora ou incorporadora poderá ser prejudicada de alguma forma, em termos de imagem e financeiro.

Por isso, é necessário ter um panorama dos potenciais riscos que um empreendimento pode ter, analisando algumas questões, como por exemplo, se as mudanças de mercado podem impactar na obra.

Além desse fator, também deve-se pensar na possibilidade de montar um plano de ação para controlar esses problemas, e se vale a pena buscar investidores e até mesmo, optar por um financiamento.

Legislação

O estudo de viabilidade também precisa avaliar as questões legais do projeto, que poderão impactar diretamente no cronograma e desenvolvimento de determinada obra.

Neste caso, entram as obrigações legais, relacionadas aos materiais e técnicas utilizados, bem como outras legislações que se referem à construção em áreas urbanas, como a Lei de uso e ocupação do solo.

Projeção dos fluxos de caixa

Quando falamos em fluxo de caixa, nos referimos à movimentação financeira de uma empresa com relação ao projeto, ou seja, a renda que será utilizada diariamente na obra. 

E para obter essa projeção, é necessário analisar as diferenças entre a projeção de receita e de despesas. Esse é um instrumento fundamental para dar seguimento a gestão financeira.

Análise de indicadores

Essa é a última etapa do estudo de viabilidade econômica. Aqui, são analisados os indicadores chave, que poderão garantir o sucesso do estudo. 

Em geral, existem alguns indicadores econômicos que poderão ser obtidos por meio desse estudo, ajudando a decidir se o investimento vale ou não a pena. São eles:

Valor Presente Líquido (VLP)

O Valor Presente Líquido (VPL) é o resultado da diferença obtida entre o valor investido e o que é resgatado ao final do investimento. Assim sendo, esse indicador consegue visualizar se o projeto terá um valor melhor do que o seu custo.

Taxa Interna de Retorno - TIR

A taxa de retorno (TIR) nada mais é do que a possibilidade de o projeto ser ou não ser rentável. 

É uma taxa percentual, que foca na periodicidade dos fluxos de caixa avaliados. Então, se os mesmos forem mensais, a TIR também será mensal, e se forem anuais, ela será anual.

Payback

E por fim, temos o Payback, um indicador que possibilita entender melhor o tempo que o projeto levará para que realmente se torne algo rentável, gerando retorno financeiro para os investidores.

Geralmente, o Payback é calculado de duas maneiras: a primeira é a tradicional, que não considera os valores investidos no tempo. E a segunda é o cálculo descontado, utilizando TMA para calcular o desconto dos fluxos de caixa.

Essas são as etapas de um estudo de viabilidade econômica. Agora, conte-nos se você já conhecia esse estudo e se já aplicou durante a realização de uma obra.

Deixe um comentário e compartilhe em suas redes sociais.

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você sabe quais são as vantagens de utilizar pré-moldados no canteiro de obras? Entenda como esse tipo de estrutura contribui com o trabalho na construção civil.
Ler Mais
As obras de infraestrutura auxiliam o desenvolvimento do país. Confira quais os principais desafios de obras de infraestrutura!
Ler Mais
1 2 3 44

© ETESCO, 2021. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram