Logo da Etesco Construções
Menu

Gestão estratégica de qualidade: Entenda o conceito

Atualizado em 19/07/2021
Tempo de leitura: 3 min.

A gestão estratégica de qualidade é uma ferramenta que ajuda a criar uma visão sistêmica da organização. Ela está alinhada a conceitos e práticas, que a colocam como um requisito obrigatório para uma empresa se manter no mercado.

A imagem mostra uma pessoa com as mãos ao redor de uma peça de xadrez, a protegendo.

No post de hoje, vamos falar mais sobre a gestão de qualidade. Continue nos acompanhando!

A origem da gestão de qualidade

Atualmente, a preocupação com a qualidade de bens e serviços é uma realidade em todas as empresas. Mas, como isso surgiu?

Na década de 1920, através do estatístico norte-americano, Walter Andrew Shewhart, foi desenvolvido um sistema para mensurar alterações na produção de bens e serviços. Assim sendo, o sistema ficou conhecido como Controle Estatístico de Processo (CEP).

Devido à Segunda Guerra Mundial, os EUA incentivaram a utilização do mesmo, por seus fornecedores de produtos bélicos que faziam parte do exército, para ajudar a disseminar novos métodos de controle de qualidade.

Logo depois, Shewhart desenvolveu também um outro método, essencial para a gestão de qualidade, e amplamente utilizado até os dias atuais, o chamado ciclo PDCA (Plan, Do, Check e Action).

Algum tempo depois, com o fim da guerra na década de 40, foi a vez do Japão investir na gestão estratégica de qualidade, iniciando um processo de reconstrução de suas indústrias.

E com a ajuda de alguns estatísticos, o país desenvolveu um método de controle de qualidade, que ao invés de detectar e eliminar defeitos em suas peças, buscava impedir que eles acontecessem.

Benefícios da gestão de qualidade

A gestão de qualidade, além de ser uma prática bem aceita por todo o mercado, quando bem aplicada, é capaz de auxiliar e comportar os processos de melhoria dos serviços e produtos.

Em geral, esse é um processo que leva à otimização do desempenho e qualidade da empresa, além de oferecer diversos benefícios, tais como:

  • Maior satisfação do cliente;
  • Consistência dos produtos;
  • Aumento da produtividade;
  • Melhor desempenho financeiro;
  • Comunicação interna aprimorada.

8 pilares fundamentais da gestão de qualidade

Existem 8 pilares da gestão estratégica de qualidade, que servem como uma base para as empresas que desejam ter uma eficiência maior em sua gestão, e assim se estabelecerem no mercado. A seguir, explicaremos um pouco melhor cada um deles!

1 - Foco no cliente

Um dos objetivos principais da gestão de qualidade é satisfazer o cliente, superando suas expectativas sempre que for possível. Além de oferecer o melhor padrão de qualidade em seus produtos ou serviços.

A empresa deve observar todas as necessidades, para atendê-los com mais eficiência, e estar preparada para dar feedbacks.

2 - Liderança com proatividade

O papel dos líderes das organizações é criar e manter um ambiente favorável, para que os colaboradores possam desempenhar suas atividades da melhor forma, motivados e comprometidos a alcançar os objetivos.

Uma liderança proativa é aquela onde os líderes agem com base em indicadores, antecipando mudanças e antevendo problemas.

3 - Melhoria contínua

Assim como a otimização de processos, a gestão de qualidade precisa ser um processo contínuo. Por isso, o gestor de cada área deve sempre implementar os melhores e mais modernos processos, e buscar aumentar cada vez mais o desempenho do trabalho.

Uma alternativa é utilizar o PDCA, metodologia fácil de implementar, e muito usada no mundo corporativo, por ser bem eficiente.

4 - Decisão baseada em fatos

Dentro de um sistema de gestão, o processo decisório deve partir de uma abordagem factual, ou seja, se basear em fatos e dados concretos, para uma análise lógica de informações. Desta forma, as análises se tornarão mais confiáveis.

5 - Bom relacionamento com fornecedores

Construir um bom relacionamento com os fornecedores é fundamental, principalmente para criar parcerias e alianças estratégicas. Esse trabalho em conjunto facilita a criação de valor, e faz com que as expectativas dos clientes sejam atendidas.

6 - Visão sistêmica

É importante lembrar que, ter o pleno conhecimento de tudo o que está acontecendo, poderá ajudar na tomada de decisões, e isso terá um impacto positivo na lucratividade da empresa.

Então, podemos dizer que a visão sistêmica é a habilidade que faz com que líderes avaliem o cenário de maneira ampla.

7 - Gerenciamento de processos

Após mapear de maneira detalhada as atividades da rotina operacional, é importante estabelecer metas e estratégias para aumentar o desempenho, e corrigir as inconformidades.

8 - Conscientização dos colaboradores

O gestor deve fazer com que exista mais envolvimento entre os colaboradores, com relação aos resultados, estratégias e metas. Entrosamento e conscientização são fundamentais para que a companhia possa prosperar.

Também vale a pena investir em capacitação e treinamento, para um atendimento melhor dos clientes, e melhorias na execução dos processos.

E você, o que acha da gestão estratégica de qualidade? Conte-nos abaixo! Não se esqueça de compartilhar em suas redes sociais! Toda semana, temos novos conteúdos em nosso blog. Fiquem ligados! E até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entenda qual é o conceito de cidades inteligentes e descubra a importância que ele tem para garantir mais qualidade de vida nos centros urbanos.
Ler Mais
Você sabe quais são as vantagens de utilizar pré-moldados no canteiro de obras? Entenda como esse tipo de estrutura contribui com o trabalho na construção civil.
Ler Mais
1 2 3 45

© ETESCO, 2021. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram