Menu
Logo da Etesco Construções

Tipos de Cimento na Construção Civil

Atualizado em 22/10/2021
Tempo de leitura: 3 min.

Existem diversos tipos de cimento para utilizar na construção civil. Alguns são mais indicados para certas obras dependendo das condições às quais elas serão expostas. A escolha do produto certo faz toda a diferença para a qualidade da entrega.

Você sabia que no mercado brasileiro existem 11 tipos de cimento destinados para a construção civil? Essas diferenças envolvem as características desses produtos e propriedades específicas que fazem com que sejam mais ou menos adequados a determinadas aplicações. 

Essas diferenças de característica acontecem por causa das adições feitas durante a moagem do cimento. Por isso, é importante entender que eles não são todos iguais e escolher o mais adequado de acordo com o tipo de construção que será feito, para que não haja problemas com a obra. 

Continue lendo para conhecer esses 11 tipos de cimento para quê você possa escolher o ideal para o seu projeto!

CP I 

A sigla CP significa Cimento Portland, nome dado em homenagem a Joseph Portland, que inventou o cimento moderno. O CP I é o mais básico que encontramos no mercado. Ele tem um tempo maior de aplicação porque a sua pega é retardada devido à adição de gesso. 

Tem uma resistência menor e um custo mais alto, sendo utilizado em construções de um modo geral, nas quais não é preciso que o cimento tenha alguma propriedade especial.

CP I-S 

Sua fórmula de base é igual à do CP I, apresentando as mesmas características dele e também as mesmas aplicações. No entanto, a diferença está em uma pequena adição de pozolânico, o que faz com que seja um cimento comum com uma menor permeabilidade.

CP II-E

Os cimentos do tipo CP II têm uma formulação composta porque são adicionados outros materiais. No caso do CP II-E, ele está entre o CP I e o CP I-S. Libera menos calor quando em contato com a água e contém escória de alto-forno granulada. É indicado para os projetos em que é necessário um despreendimento de calor mais lento.

CP II-F

Tem a mesma característica de liberar menos calor. Sua composição contém de 6 a 10% de material carbonático. É um cimento usado em aplicações gerais para compor concreto simples, protendido ou armado; também pisos, elementos pré-moldados, entre outros que não exijam aplicação em um meio muito agressivo.

CP II-Z

É um tipo de cimento que pode ser utilizado sem problema nas obras subterrâneas. Também é recomendado para as construções em locais que se mantêm em contato com a água. Isso porque sua composição recebe adição de pozolana, o que faz com que tenha uma menor permeabilidade.

CP III

É um tipo de cimento de alto-forno, mas que recebe uma adição maior de escória, podendo alcançar até 70% de teor em massa. É muito durável, tem uma alta impermeabilidade, resistência a sulfatos, à expansão e um baixo calor de hidratação. É ideal para estruturas mais agressivas e de grande porte, como para afluentes industriais, barragens, fundações de esgoto e máquinas.

CP IV

Também é um tipo de cimento que contém pozolânico em sua composição, mas cerca de 15 a 50%. Por causa desse alto teor, tem uma grande impermeabilidade e é muito durável, garantindo maior estabilidade em ambientes que podem sofrer ataques ácidos, em especial por sulfato. Tem uma indicação para obras que ficam expostas à água corrente pelo fato de ser pouco poroso.

CP V

Esse cimento não contém adições, mas sua formulação é diferente por causa da dosagem e do processo de fabricação do clínquer. Ele é utilizado em quantidades diferentes de argila e de calcário, tendo uma moagem mais fina. Por isso, tem uma alta resistência inicial, maior do que a dos cimentos convencionais. É muito utilizado na fabricação de concreto.

CPB

Esse cimento também tem diferença em relação aos demais por sua tonalidade branca. Isso acontece porque são utilizadas matérias-primas com teor menor de ferro no lugar e manganês, sendo utilizado o caulim em vez da argila. É indicado tanto para estruturas como, por exemplo, em rejuntes de cerâmica.

Categorias extras

BC

Essa é uma categoria extra dos cimentos que citamos. É conferida ao produto quando ele tem um baixo calor de hidratação, retardando o seu desprendimento de calor em grandes peças. Isso evita a formação de fissuras em decorrência de variações térmicas.

RS

Os cimentos também podem receber a classificação por sua resistência a sulfatos, entrando nessa categoria extra. Esse tipo de cimento é muito utilizado em projetos de ambientes industriais, redes de esgotos e naqueles que mantêm contato com o mar. 

Como você pode perceber, cada cimento é mais recomendado para um tipo de construção e, por isso, você pode não alcançar os resultados que deseja se não tomar a decisão correta na hora de escolher o produto. A aquisição ideal é o que garante a boa execução da obra e a sua durabilidade conforme as condições às quais será exposta.

 TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O graute é um tipo de argamassa ou concreto específico que apresenta uma consistência um pouco mais fluida. Saiba onde ele pode ser aplicado!
Ler Mais
Entre as patologias mais comuns da construção civil estão as rachaduras e fissuras. Mas, será que elas são a mesma coisa? Entenda as diferenças!
Ler Mais
1 2 3 56

© ETESCO, 2022. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.