Logo da Etesco Construções
Menu

Gerenciamento de resíduos: por que implementá-lo?

Atualizado em 20/07/2021
Tempo de leitura: 2 min.
A imagem foi tirada de baixo pra cima mostrando uma floresta com árvores muito altas e uma ilustração gráfica do planeta terra e em volta deles encontra-se diversos ícones da sustentabilidade, entre eles, água, energia, sol, entre outros.

Na construção civil sempre existem resíduos, sendo eles os principais responsáveis pela produção de lixo no mundo. E este é um fator que pode se tornar rapidamente um problema ambiental mais sério, principalmente quando ainda não há um gerenciamento de resíduos adequado.

Desta forma, é necessário saber como fazer esse gerenciamento, encontrando maneiras de acabar com entulhos ou metralhas (termos utilizados para definir as sobras das construções).

Continue nos acompanhando para saber mais informações e como pode ser feito o gerenciamento de resíduos.

O que é o gerenciamento de resíduos?

O gerenciamento de resíduos é uma das etapas mais importantes do planejamento da construção civil, especialmente por conta do alto volume acumulado ao final de cada trabalho, que são os chamados resíduos da construção e demolição, ou resíduos da construção civil.

No Brasil existe o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), órgão responsável pela Resolução 307, documento de julho de 2002, que estabelece obrigações legais que estão relacionadas com a gestão de materiais excedentes.

Essa legislação estabelece algumas diretrizes, processos e critérios para que seja feito o gerenciamento de resíduos de construção civil, e ao longo dos anos foi sofrendo alterações.

A classificação dos resíduos

Além da Resolução 307/2002 e suas variações, que organiza os resíduos da construção civil em classe A, B, C e D, de acordo com sua composição, também existe a norma ABNT BNR 10004:2004, que faz a separação dos materiais em classes I, II, II A e II B, de acordo com sua periculosidade. Mas o foco, na maioria das vezes, é na primeira opção.

Resolução 307/2002

Classe A - Resíduos reutilizáveis ou recicláveis, como os de reforma, reparos de pavimentação, obras de infraestrutura, edificações, demolição de peças, entre outros.

Classe B - Resíduos reutilizáveis ou recicláveis, que terão outros destinos, como plástico, papel, metal, vidro, madeira, gesso e papelão.

Classe C - Resíduos que não obtiveram tecnologias ou aplicações economicamente viáveis e que permitam a reciclagem.

Classe D - Resíduos perigosos, contaminados ou prejudiciais à saúde como solventes, óleos, itens radiológicos, etc.

O que é o gerenciamento de resíduos?

O manuseio correto e o gerenciamento de resíduos na construção civil não diminuem apenas os índices de desperdício e os gastos com materiais, mas também faz com que as empresas cumpram seu papel ecológico e sustentável, beneficiando assim o meio ambiente.

 TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 14 / 04 / 20
Em meio a pandemia do Covid-19 a Etesco assumiu o compromisso de manter os seus colaboradores em segurança, buscando prevenir a propagação da doença.
Ler Mais
 | 03 / 04 / 20
Em tempos de recolhimento pelo Covid-19, as empresas de construção civil que ainda trabalharão devem adotar medidas preventivas. ACOMPANHE!
Ler Mais
1 2 3 6

© ETESCO, 2021. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram