Menu
Logo da Etesco Construções

Conheça‌ ‌os‌ ‌benefícios‌ ‌do‌ ‌compliance‌ ‌para‌ as‌ ‌empresas‌

Atualizado em 23/07/2021
Tempo de leitura: 4 min.

Compliance é um termo americano originado do verbo ‘to comply’, que nada mais é do que estar em conformidade com regras, leis e normas internas de uma empresa.

A imagem mostra um duas pessoas sentadas em uma mesa com pranchetas apoiadas na mesa.

No post hoje, vamos falar sobre os benefícios que o compliance pode gerar para as organizações. Acompanhe a seguir!

Compliance: Principais características

No contexto empresarial, o compliance está relacionado com a integridade e até mesmo a conformidade corporativa, ou seja, com o cumprimento das regras da empresa.

Em outras palavras, compliance é o conjunto de procedimentos utilizados para detectar, resolver e até mesmo evitar determinadas irregularidades, como fraudes e corrupção.

De forma geral, compliance é um padrão básico de negócios, que envolve ações para garantir relações éticas, não apenas com o poder público.

Assim sendo, quando colocado em prática, garante um alinhamento diante da legislação e uma relação mais transparente entre a empresa e o mercado.

O papel do compliance

Nós brasileiros costumamos sempre ‘remediar’ e não prevenir determinados problemas. Porém, sabemos que a prevenção é o melhor caminho, e é justamente aí que entra o compliance.

Podemos citar como exemplo uma briga judicial de longa data, por conta de uma lei trabalhista que foi descumprida, ou ainda alguma multa pesada da Receita Federal devido a falhas na prestação de contas.

Basicamente, os programas de compliance têm a função principal de criar mecanismos que possam evitar problemas como esses, prevenindo até mesmo futuras situações que possam prejudicar a organização no mercado, retirando sua credibilidade.

É por isso que os programas de compliance estabelecem tanto para os que estão de fora, quanto para os colaboradores, o comprometimento da empresa em busca de soluções antes que os problemas se agravem.

Tipos de compliance existentes

Existem alguns tipos de compliance para serem seguidos, entre os principais:

Compliance ambiental

As ações humanas podem gerar riscos para o meio ambiente. Por isso, é importante que as empresas e os consumidores tenham consciência disso.

Desta forma, então, para deixar a organização em harmonia com a natureza, o compliance ambiental deve ser colocado em prática, fazendo dessa ação algo essencial para um mundo sustentável.

Compliance anticorrupção

Nos dias atuais, a corrupção é um tema bastante abordado. Em geral, é muito importante que a empresa seja responsável por seus funcionários, mantendo um controle rigoroso e identificando se algum deles está agindo de má fé.

Compliance de responsabilidade social

É necessário, também, se preocupar com os impactos que a sua empresa está gerando dentro do contexto onde está inserida.

Caso você ainda não tenha parado para analisar essa questão, é fundamental ter um olhar mais crítico, uma vez que todo empreendimento deve ter e cumprir uma responsabilidade social.

Quais as vantagens do compliance?

Quando uma empresa investe no programa de compliance, imediatamente ela recebe vários benefícios, uma vez que, para o mercado, ela passa a ser uma instituição segura e que se compromete com boas práticas.

Essa imagem sólida já é algo muito valioso para qualquer organização. Mas, além desses, o compliance também oferece outros benefícios, sendo eles:

Maior eficiência

O compliance ajuda as empresas a reduzirem a incidência de fraudes e desvios de recursos. Também evita os riscos de sanções legais, perda financeira e de manchar a sua reputação no mercado.

Esses fatores repercutem de modo positivo e atuam diretamente no aumento da eficiência e desempenho da organização.

Preservação de Integridade

Com a prevenção de riscos e de más condutas, o compliance diminui a alta exposição da organização em relação a comportamentos irregulares ou ilegais de ambas as partes (empresa e colaborador).

Aumento de produtividade

Estudos comprovam que, quando existe uma ética organizacional, o grau de satisfação dos clientes, o comprometimento e rendimento no trabalho se torna maior, gerando uma melhoria grande na produtividade.

Como colocar o compliance em prática?

O processo de implementação do compliance é um pouco mais lento, mas com grandes recompensas, conforme dissemos. Abaixo, de forma resumida, vamos explicar como o compliance pode ser implementado para conduzir a gestão de riscos.

Antes de qualquer outra coisa, é muito importante elaborar um código de conduta, ou seja, um documento com regras que deverão ser seguidas por todos os membros da empresa.

Para isso, é necessário ter o conhecimento profundo sobre a cultura da organização, o modelo de governança que ela adota e consultar todas as partes a fim de recolher novas sugestões.

Também não é descartada a participação de representantes da equipe durante a elaboração do projeto. Isto porque o engajamento desses membros ajudará no controle interno.

Durante a criação e implementação do compliance, é preciso deixar claro para a diretoria da empresa quais serão as regras implantadas e que todos deverão seguir, inclusive os próprios gestores.

Ao apresentar as novas regras, devem ser oferecidos canais onde as possíveis denúncias possam ser feitas, de maneira prática e fácil, tudo em modo anônimo.

Depois de ter o compliance instituído, deve-se manter a equipe ou departamento dedicado ao cumprimento das regras, realizando um ‘Due Diligence’ quando necessário, ou seja, investigando os riscos de todas as ações.

Vale lembrar que, estar em compliance não é uma escolha da empresa, mas precisa ser um dever, para mostrar ao mercado como funciona uma organização séria e comprometida com seus colaboradores.

Agora que você já sabe quais são os tipos de compliance e os benefícios que ele oferece, conte-nos se você já aplica ou se tem interesse em implementar o programa em sua empresa.

Deixe um comentário e compartilhe também em suas redes sociais! Até o próximo post!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O graute é um tipo de argamassa ou concreto específico que apresenta uma consistência um pouco mais fluida. Saiba onde ele pode ser aplicado!
Ler Mais
Entre as patologias mais comuns da construção civil estão as rachaduras e fissuras. Mas, será que elas são a mesma coisa? Entenda as diferenças!
Ler Mais
1 2 3 56

© ETESCO, 2022. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.