Menu
Logo da Etesco Construções

Orçamento de Obra: 4 erros que não devem ser cometidos

Atualizado em 12/08/2022
Tempo de leitura: 3 min.

Um dos maiores vilões de um orçamento de obra é o mau planejamento, algo que pode afetar muito o andamento do projeto. E existem vários erros que não devem ser cometidos, justamente para que o resultado final seja positivo.

Fonte: beijingstory | Canva

Falaremos um pouco mais sobre o assunto no post de hoje. Trouxemos 4 erros que não devem ser cometidos ao elaborar um orçamento. Acompanhe a seguir!

Por que não se deve errar em um Orçamento de Obras?

Um dos primeiros passos antes de executar um projeto é elaborar um orçamento de obras, uma tarefa que exige muito foco e organização para evitar possíveis atrasos, prejuízos e imprevistos durante as atividades.

Basicamente, o orçamento é fundamental para se ter um controle e ao mesmo tempo poder monitorar todo o trabalho e sua evolução, buscando se manter dentro dos valores pensados desde o início.

Quando se tem um orçamento de obra bem elaborado e sem erros, é possível dar continuidade ao trabalho sem grandes preocupações e fica mais fácil finalizar a obra no prazo em que estava prevista.  

Por isso, é importante que o orçamento seja revisado e mapeado por completo antes de sua finalização, para que as informações estejam corretas. 

Quais os 4 erros que devem ser evitados?

Frequentemente ocorrem erros na elaboração do orçamento de obra, que acabam impactando negativamente na viabilidade da construção ou projeto final. Abaixo, separamos os 4 principais erros e explicaremos um pouco melhor.

1 - Não conhecer muito bem o projeto

Em geral, a primeira fase de desenvolvimento de um orçamento de obra é voltada para o levantamento das demandas e variáveis. Se essa etapa não for bem elaborada, pode prejudicar a qualidade de estimativa de custos.

Por mais que cada projeto tenha suas necessidades e variáveis, ou sejam estruturas idênticas, a condição do terreno sempre pode variar. Ou seja, não basta apenas se basear em outras análises. Deve ser feito um cálculo de maneira precisa

2 - A não inclusão de custos diretos e indiretos

Os custos diretos tendem a estar relacionados com a execução do projeto e os indiretos não possuem relação direta com a obra, porém também são importantes para que o projeto caminhe.

Então, o ideal é entender as diferenças entre os dois tipos de custos, criando categorias corretas para os gastos para que a construtora não tenha surpresas desagradáveis durante o desenvolvimento das atividades.

3 - Não calcular benefícios e o BDI

Além dos custos diretos e indiretos, para fazer um orçamento de obras eficaz, é importante calcular os benefícios e despesas indiretas (BDI), afinal, criar esse documento sem detalhar ambos de maneira correta, pode levar a gastos inesperados ou a um valor de mercado nada competitivo.

4 - Esquecer de atualizar a precificação

O orçamento de obras também precisa conter outros custos e preços que estão dentro do que foi planejado. E muitas obras demoram a ficarem prontas, tendo mudanças em seus valores. Então, a falta de cuidado com a consulta e atualização de preços é uma falha que deve ser evitada.

Você já realizou um orçamento de obras e cometeu algum desses erros? 

Deixe o seu comentário e compartilhe o conteúdo! Até o próximo post!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Existem dois tipos de armaduras, sendo a armadura positiva e a negativa muito utilizadas na construção civil. Entenda melhor e saiba o que pode diferenciá-las!
Ler Mais
Aditivos para concreto são substâncias adicionadas à mistura de cimento, água, areia e outros agregados para promover uma construção mais resistente. VEJA MAIS!
Ler Mais
1 2 3 101

Desenvolvido por Surya Marketing Digital.

Todos os direitos reservados © 2024
Site atualizado em:
15:19 | 21/02/2024